Artigos traduzidos

Posted by Gerenciador, With 0 Comments, Category: Artigos Traduzidos, Estudos e Pesquisas, Tags:, , , , , , , ,

O que é o tempo para um cão? E como funciona a memória dos animais?

Artigo original em inglês: animal.discovery.com

A maioria dos cães nunca se atrasa para uma refeição - eles sabem exatamente onde devem estar, no mesmo horário, todos os dias. Eles também sabem quando esperar o seu dono chegar em casa e, como um relógio, colocar-se pacientemente na porta antecipando sua chegada. Quando se assiste a um comportamento como esse, assumimos que os cães têm uma compreensão sofisticada do tempo. Mas o que é realmente o tempo para um cão?

o cão e o tempo

Dizem que um ano humano é equivalente a cerca de sete anos caninos. Mas o que esta teoria comum nos diz sobre a percepção de tempo para um cão? Na realidade, muito pouco. A ideia de "anos de cachorro" vem da expectativa de vida de cães em relação aos humanos. Portanto, não seria correto aplicar essa ideia ao conceito de percepção do tempo.

Para entender como os cães percebem o tempo, primeiro precisamos entender como os seres humanos percebem o tempo. Indiscutivelmente, cada pessoa experimenta a passagem do tempo de formas diferentes em momentos diferentes. Albert Einstein uma vez explicou o princípio da relatividade, dizendo: "Quando um homem senta-se com uma garota bonita por uma hora, parece um minuto. Mas, deixe-o sentar-se em um fogão quente por um minuto - demora muito mais do que uma hora. Isso é relatividade".

Mesmo que a experiência do tempo seja relativa para cada indivíduo, todos os seres humanos pensam sobre o tempo de maneira semelhante. Por exemplo, as nossas memórias estão intrinsecamente ligadas à forma como entendemos a passagem do tempo. Nossa capacidade de lembrar de eventos em uma ordem particular desempenha um grande papel na nossa percepção do tempo. Nós também somos capazes de prever as coisas. Embora nem todos afirmem ser videntes, cada um de nós conta com determinados acontecimentos futuros - mesmo coisas simples como saber que o sol vai nascer amanhã. Essas habilidades têm implicações importantes - por exemplo, a memória e a previsão nos permitem ter um senso de continuidade, história pessoal e auto-consciência.

Mas será que os cães e outros animais têm essa mesma habilidade?

Os animais podem aprender e planejar sem um conceito de tempo?

cão

Os seres humanos têm duas habilidades importantes que os ajudam a entender o tempo: somos capazes de lembrar de uma sequência de eventos e de antecipar necessidades futuras. Estudos mostram que os animais podem ter essas habilidades - mas em menor grau.

Cientistas fizeram dois tipos diferentes de testes de memória com animais - com memórias de curto prazo e memórias de longo prazo - para ver como os animais recordam sequências de eventos. Nas análises de memória de curto prazo os animais em teste - pombos e primatas - deveriam lembrar de uma sequencia mostrada a eles bem o suficiente para reproduzi-las e ganharem uma recompensa.

Os animais concluíram muito bem essas tarefas, mas, a memória desaparecia rapidamente. A teoria de um dos cientistas afirma que esses animais provavelmente estavam avançando da memória mais fraca à mais forte, ao invés de realmente aprenderem ou lembrarem da sequência.

Outros pesquisadores descobriram que os pombos e macacos tiveram bom desempenho em testes de memória de longo prazo, em que eles precisavam se lembrar de uma sequência após um período de tempo entre aprender e testar.

Contudo, foi necessário um intenso treinamento para que os animais aprendessem as sequências, o que sugere que essa capacidade não veio naturalmente a eles. A partir destes testes, observa-se que os animais percebem o tempo de forma diferente dos humanos, que têm uma memória relativamente confiável e sofisticada quando se trata de sequência de eventos.

Além disso, os animais não parecem antecipar necessidades futuras, sugerindo aos pesquisadores que eles não têm um conceito de futuro. Por exemplo, quando dada a escolha, pombos e ratos optam por uma pequena recompensa imediata do que por uma recompensa maior no futuro. Em um teste, os pesquisadores apresentaram aos primatas uma escolha entre uma banana e duas bananas. Compreensivelmente, eles escolheram duas bananas de forma consistente. No entanto, como o fornecimento de mais opções, eles começaram a mostrar menos de uma preferência - eles não estavam com fome suficiente naquele momento para comer 10 bananas, por isso, escolheram cinco bananas em metade das escolhas. A partir dessas experiências, um dos cientistas conclui que estes animais procuram satisfazer suas necessidades imediatas, e não planejam o futuro. Isto é muito diferente de seres humanos, que costumam usar a razão e premeditação para antecipar necessidades futuras, como por exemplo embalar as sobras de um almoço para mais tarde ou investir em um plano de aposentadoria.

Mas e quando se trata de esquilos e outros animais que acumulam comida para os meses de inverno iminente? Esse comportamento parece implicar que os animais antecipam necessidades futuras. Mas na verdade, talvez não seja isso. Estudos descobriram que animais não param de acumular, mesmo quando seus suprimentos inexplicavelmente desaparecem. Isto poderia significar que os animais não entendem por que acumulam, o que isso significa para o seu futuro ou até mesmo o que é futuro. Eles simplesmente o fazem por instinto. Os seres humanos, por outro lado, compreendem os seus preparativos e mudam rapidamente de estratégia quando os planos dão errado.

Se os animais estão "parados no tempo", como sugere um dos pesquisadores, isso pode significar que a compreensão do tempo é única e fundamentalmente humana. Mas é nossa escolha tentar aprender alguma coisa com as despreocupadas perspectivas caninas de "viver o momento".