O trabalho voluntário se consiste, antes de tudo em solidariedade e ajuda ao próximo. Independente do trabalho que se faça, o que importa é a vontade de ajudar e a disposição para ceder um pouquinho do tempo e conhecimento fazendo bem a outra pessoa. Principalmente na sociedade desigual em que vivemos, voluntários tem um papel social e exercem sua cidadania por meio da caridade. O trabalho voluntário beneficia não somente o indivíduo que recebe a ajuda, mas também, o próprio voluntário e traz grande contribuição para a sociedade.

Segundo a Onu (Organização das Nações Unidas), o voluntário é alguém que, devido a seu interesse pessoal e espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades de bem estar social, ou outros campos.

O americano Allan Luks, autor do livro “O poder curativo de fazer o bem” (The Healing Power of Doing Good), descobriu em suas pesquisas que pessoas que ajudam os outros têm também melhora em sua qualidade de vida e saúde. Segundo ele, oito em cada dez entrevistados sentem os benefícios para a saúde ocasionados pelas ações feitas em anos anteriores.

 

Mas, claro, trabalho voluntário envolve comprometimento e exige o cumprimento de algumas normas para o sucesso dos trabalhos. No INATAA qualquer pessoa pode se tornar voluntário. Independente do grau de escolaridade ou idade, o importante é ter boa vontade, responsabilidade social e posse responsável, que implica o cuidado com o seu animal.

O INATAA cresce mais a cada ano e, por isso, sempre precisamos de pessoas dispostas e dedicadas para dar conta de todo o trabalho. Para quem tem interesse em participar, existem muitas áreas de atuação. Voluntários com cão trabalham com as Atividades Assistidas por Animais (AAAs) e Terapias Assistidas por Animais (TAAs) e com a ajuda dos cães levam alegria e qualidade de vida aos assistidos.

Os voluntários sem cão também são de extrema importância e têm papel fundamental no relacionamento com os assistidos, já que alguns idosos e crianças se sentem receosos ao chegar perto dos animais ou, simplesmente, só querem alguém que converse e dê atenção a eles. Além disso, outras funções podem ser desempenhadas em diversos departamentos, que também são dirigidos por voluntários. Alguns exemplos são a área de parcerias, comunicação, coordenação de projetos  e financeira.

Leia o passo-a-passo para saber como participar.

O processo de treinamento para novos voluntários INATAA é voltado a voluntários que desejam trabalhar com o seu cão e também voluntários sem cão.

Todos Profissionais e/ou Voluntários que ingressarem no INATAA passarão por triagem e Programa de Treinamento, dividido em 7 etapas:

  • Etapa 1 – Participar da palestra gratuita "Voluntariado e Transformação Social"
    do Centro de Voluntariado de São Paulo, do qual somos conveniados. Agendamento pelo telefone 3284-7171.
  • Etapa 2 – Enviar uma cópia do certificado para o email voluntarios@inataa.org.br.
  • Etapa 3 - Treinamento para novos voluntários INATAA*
    Palestra Inicial para Novos Voluntários. Para participar entre em contato através do voluntarios@inataa.org.br ou faça sua inscrição aqui.
    * O endereço do local onde será realizada a Etapa 3 do processo será enviado somente aos que enviarem o certificado do CVSP por email.
  • Etapa 4 - Três Visitas aos Asilos sem o cão
    Previamente agendadas e monitoradas pelos nossos profissionais.
  • Etapa 5 – Avaliação do voluntário (prova escrita + avaliação durante as visitas).
  • Etapa 6 - Avaliação de Saúde do Cão
    Serão aceitos somente cães castrados, entre 1 e 7 anos de idade e saudáveis. Filhotes podem participar como "estagiários", sem visitar as instituições, participando de alguns eventos/treinamentos sob orientação da equipe de Comportamento Animal.
  • Etapa 7 – Avaliação Comportamental do Cão
    Avaliação de Obediência, Temperamento, Comportamento e Aptidões.

 

Os voluntários sem cão também são de extrema importância e têm papel fundamental no relacionamento com os assistidos, já que alguns idosos e crianças se sentem receosos ao chegar perto dos animais ou, simplesmente, só querem alguém que converse e dê atenção a eles. Além disso, outras funções podem ser desempenhadas em diversos departamentos, que também são dirigidos por voluntários. Alguns exemplos são a área de parcerias, comunicação, coordenação de projetos e financeira.

 

“O trabalho voluntário é uma fonte de força comunitária, superação, solidariedade e coesão social. Ele pode trazer uma mudança social positiva, promovendo o respeito à diversidade, à igualdade e à participação de todos. Está entre os ativos mais importantes da sociedade.”

Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon